Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘restaurante’

Bom, como aderi à Campanha Segunda sem Carne hoje, fui almoçar num restaurante vegetariano aqui do centro de Sampa.

Já tinha ido nele algumas vezes: a comida é boa, bem variada e saudável, o preço não é tão barato (R$20,00) mas você come à vontade (incluso sobremesas e sucos).

Fica a dica a quem quiser conferir:
Apfel Restaurante Vegetariano
Rua Dom José de Barros, 99 – Centro
Rua Bela Cintra, 1343 – Jardins

Anúncios

Read Full Post »

Ontem fui conhecer um restaurante de comida típica do norte do Brasil, chamado Restaurante Feijão de Corda, no bairro de Socorro.

Comi um Baião de Dois e uma Carne de Sol com Mandioca na Manteiga é de comer ajoelhado! A pena é que não levei câmera pra registrar os pratos…

Preço justo e comida farta e saborosa!

Momento cultural: Na minha santa ignorância, carne de sol e carne seca eram sinônimos, tudo uma coisa só. E não é. “A carne seca é mais vermelhinha e desfiada; a carne de sol lembra um bifinho”, como disse meu maridovsky. Pesquisando na net, vi que, além da diferença na aparência e no sabor, a técnica de preparo é diferente: a carne de sol é ligeiramente salgada e colocada pra secar em local coberto e ventilado; a carne seca (ou jabá) é esfregada com mais sal, empilhada em locais secos e depois são levadas ao sol.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Carne_de_sol
http://www.sic.org.br/charque.asp

Vale a pena conferir!

Restaurante Feijão de Corda
Avenida Robert Kennedy, 1150, Socorro, São Paulo-SP
(11) 5686-3359

Read Full Post »

Comendo fora

Vai comer fora? Está de viagem? Veja as dicas para essas situações retiradas da Revista Vida Simples, de maio.

Vá a um bom restaurante
Escolha um dia para comer em um restaurante chique. Leve 100 reais, dólares, euros (ou a moeda que for) a mais do que costuma gastar em uma refeição para se dar esse luxo. “Incorpore esses 100 ao preço da passagem – e sua extravagância acaba de virar um artifício contábil”, diz Ricardo Freire, autor do livro 100 Dicas para Viajar Melhor.

Leve um tempero na mala
Nem sempre a comida do avião – ou até do próprio destino – é bem temperada. Uma dica é levar um vidrinho de molho de pimenta na bagagem de mão. Sempre ajuda a melhorar o sabor.

Pesquise a gastronomia
Procure saber quais as comidas típicas do lugar e os endereços para prová-las. “Sempre que viajo vou disposta a provar tudo, mesmo que seja algo que não gosto”, diz a viajante gastronômica Alessandra Blanco, autora do blog Comidinhas.

Esqueça a balança
“Nas férias eu nunca penso que posso engordar. É como se a gente tivesse licença para fazer e comer o que quiser”, afirma Alessandra, que, quando está na França, saboreia um pain au chocolat todos os dias. Coma o que tiver vontade: nunca se sabe quando você vai voltar

Coma na rua
Em muitos lugares, as barracas de rua oferecem delícias, seja um acarajé na Bahia, seja um cachorro-quente em Nova York. Valem por uma refeição e ainda saem mais em conta que em restaurantes.

Almoce em horários alternativos
Para evitar ter que passar um tempo perdido na fila de espera de um restaurante, programe-se para comer antes ou depois que o movimento já tenha diminuído. “Em viagens, almoco às 3 ou janto às 7, para ter mais tranquilidade”, anota a escritora Danuza Leão no livro Fazendo as Malas.

Read Full Post »

Dia desses fui almoçar em uma casa de massas muito gostosa (ainda vou falar dela por aqui). Como já tinha ido lá algumas vezes, quis experimentar um prato diferente. Eles chamam de Salada Primavera: macarrão cozido, com legumes cozidos, ao molho shoyo. Não é um yakissoba, nem é essa a proposta.

Adorei o sabor do prato e quis fazer em casa, para o marido experimentar. Não ficou tão bom quanto o de lá, achei que poderia ter ficado mais salgadinho e com mais molho, mas, ficou bom.

Usei espaguete (no restaurante, usavam ou penne ou farfalle) e um mix de legumes já cortados que comprei na feira_ se você tiver paciência, escolha os legumes de sua preferência (como cenoura, vagem, brócolis, couve-flor…) e pique-os em pedaços médios.

Cozinhei os dois separadamente (com um pouco de sal e azeite na água). Aos legumes já cozidos e escorridos, juntei o molho shoyo, um pouco de água, sal e aji-no-moto. Depois juntei tudo em um pirex bonito e decorei salpicando gergelim preto e branco.

Macarrão ao shoyo

Macarrão ao shoyo

Read Full Post »